quinta-feira, 31 de julho de 2008

A Novela que me fez gostar de Novelas!!!

Infelizmente, minhas férias familiares estão acabando. Com responsabilidades, é verdade... Mais ainda assim Férias!!!

Bom, para não ter um tópico lamuriento, vamos falar de coisas alegres!!! Então vou contar para vocês a novela que me fez gostar de novelas. E mais nela passeie por uma portinha em que os personagens ficam quase reais. Quem teve uma novela assim sabe exatamente do que estou falando...
Bebê a Bordo
!!! Isso mesmo, o Cult das novelas!!! Novela das 7 horas de 1988 com autoria de Carlos
Lombardi e colaboração de Luiz Carlos Fusco!!! Esta novela revolucionária com personagens beirando a marginalidade, conta a história de Ana (Isabela Garcia), casada com Zezinho (Léo Jaime), que fica grávida acidentalmente e durante um assalto dá a luz dentro do carro do neurótico Tonico (Tony Ramos). Bom, não foi bem a protagonista que me fez passar pela tal portinha da realidade. Na verdade foi um trio que ora tendia ao engraçado, ora, ao trágico: Rei (Guilherme Fontes, numa das interpretações mais marcantes de sua carreira), Raio de Luar (Silvia Buarque em plena forma e com sensibilidade à flor da pele) e Rico (Guilherme Leme, o melhor tórax dos anos 80). Como grandes emoções começam a maioria das vezes com rusgas? Eu me irritava tanto vendo Raio tendo ataques de asmas cada vez que Rei a ‘atacava’... Aos poucos vi que irritação às vezes é identificação. Tido e feito. Eu comecei a ver meus lados contestadores e até as fragilidades.

Acompanhava pela revista Amiga o que iria acontecer nos próximos capítulos... Isso mesmo. Não estavámos na era da internet e não tinha sites como Terra Gente & Tv com atualizações minuto a minuto. No máximo, semana a semana e às vezes, o capítulos era bem diferente que foi prometido. Foi por lá que vi quando Raio finalmente ia perder a virgindade com Rico (irmão e melhor amigo de Rei) e que Rei iria engravidar Sininho (Carla Marins), casar com ela e ainda morar na mesma casa que a Raio. Era engraçado ver o sofrimento e a vida separada daquelas duas pessoas tão diferentes e tão iguais. E cada vez que conhecia Raio, me conhecia mais. Ria com frases de efeito de Carlos Lombardi colocava ‘na boca’ de Rei. Como uma vez que Sininho (uma menina muito soltinha) beija Rei achando que é Rico. Rei detona - Coelho errado coração... Ah sim! Gírias que a novela falava: "Levar Coelho" significava "transar", "bike", "bicicleta". Sem falar a moda que Guilherme Fontes inventou usando lencinhos na cabeça, ele viu Cazuza usando e resolveu por no seu personagem moderno e carentíssimo.

Ah sim!!! A novela se passava no Bairro de Santa Cecília, onde morava minha querida Vó Ci. E como os personagens eram grafiteiros, Rei entregava pizza e Rico era mecânico. Imagina se eu não comecei a olhar para entregadores de pizza em geral com um olhar diferente.
Ah sem falar nas sátiras de outras novelas ou até da própria. Numa cena super ousada, Rei e Sininho tentam fazer um aborto, então Rei tenta jogar Sininho da escada.
Rei - A Maria de Fátima (Glória Pires em Vale Tudo) não conseguiu se jogando da escada.
Quando ele vai jogar, ela desvia e quem cai é Rei.
Até em brigas os atores se auto-citavam. Como uma batalha verbal de Raio e Rei.
Rei - Mais que eu mais gosto é o último do Cacá Diegues. "Um Trem pras Estrelas". Tem ator famoso lá.
Raio - Eu não gosto daquele ator, aquele tipo.
Rei - É muito bom, viu?
Sininho - Gente, só tem Rambo!

Ah! Ainda em tempo Guilherme Fontes foi protagonista de “Um Trem pras Estrelas” com roteiro do também Lombardi.
Enfim, era uma novela que satirizava bem tudo e todos.
Com vocês uma das cenas finais e para os fãs de Raio e Reizinho como eu...O desfecho do triângulo mais paulista e conturbado das novelas:
Se deliciem!!!



video

Nenhum comentário: